Disaster Recovery: conheça a importância de ter uma infraestrutura redundante

Destaques0 Comentários

Você tem um plano de Disaster Recovery? Não é uma realidade rara no Brasil chuvas que inundam cidades, destroem casas, empresas e que levam embora diversas coisas importantes para as pessoas.

Por isso, tenho uma pergunta: para você, qual a coisa mais importante para a empresa onde você trabalha? Ouso dizer que são os dados. Afinal, sem eles você não consegue executar diversas tarefas e a sua equipe fica de braços cruzados.

Então, isso me leva novamente para a primeira pergunta: a empresa conta com um plano de Disaster Recovery? Em português, significa recuperação de desastres e é um serviço que permite que a operação do seu negócio seja reestabelecida rapidamente, não importa o grau de dano que a empresa sofra, por eventuais falhas ou imprevistos.

Porém, esse assunto é muito mais abrangente e merece mais atenção, pois o serviço é mais necessário do que você imagina. Portanto, preparamos este conteúdo. Continue conosco se deseja entender mais sobre ele.

Afinal, o que é Disaster Recovery?

Como já falamos, Disaster Recovery (DR), em português, significa recuperação de desastres e expressa literalmente a importância de possuir um plano de recuperação da operação da sua empresa caso ocorram eventos catastróficos que podem paralisar suas atividades.

Dessa forma, na prática, o DR se refere ao conjunto de ações empregadas de forma sólida, para prevenir que as empresas percam todas as informações vitais em casos de imprevistos e tenham a possibilidade de restaurar tanto as informações quanto os sistemas utilizados nas suas rotinas operacionais.

Sua empresa está constantemente exposta

Disaster Recovery

Começamos este blog falando sobre as chuvas que inundam grandes cidades brasileiras, porém, essa não é uma realidade em todos os municípios do país. Isso quer dizer que minha empresa está segura? Não. Existem diversos tipos de desastres que podem atingir um empreendimento.

Confira:

  • Queda de energia: esse é um dos riscos mais comuns e que pode causar diversos transtornos, afinal, além de causar atrasos nas operações, pode ocasionar a perda dos trabalhos que estavam sendo realizados naquele momento;
  • Crimes virtuais e roubos: quem é da área da tecnologia está sempre ouvindo falar em vírus e ameaças cibernéticas. Mas, se antigamente as ações de hackers eram movidas a ganhar status, hoje os cibercriminosos saem a uma caça a dados para pedir uma recompensa: bitcoins. Se você pagar, ainda corre o risco de não recuperar os dados e se não pagar, corre o risco de perder clientes;
  • Outro ponto importante neste tema é o roubo de ativos ou equipamentos. Embora o que mais se discuta hoje em dia são os crimes cibernéticos, não podemos esquecer que existe a chance de ocorrer um arrombamento nas dependências da sua empresa e alguém furtar o seu servidor ou algum outro equipamento importante para a operação dos processos do seu negócio;
  • Falha de equipamento: e se alguma parte do seu sistema sofrer uma pane? Esse é um dos problemas mais comuns que afetam empresas. Quando falhas assim acontecem, é algo parecido com a queda de energia, já que os profissionais ficam de mãos atadas e há o risco de perder trabalho já executado, consequentemente gerando uma perda financeira devido ao retrabalho, isso sem mencionar o tempo de recuperação do equipamento, que pode levar entre algumas horas até vários dias a depender do tipo de falha;
  • Falha humana: não há como negar, até o profissional mais qualificado pode cometer erros. Já pensou se em uma falha dessas o sistema é corrompido? O que você faria em uma situação assim?

Esses são apenas alguns exemplos do que pode acontecer em uma empresa que não conta com Disaster Recovery.

Eu faço backup regularmente, preciso mesmo Disaster Recovery?

Ao mesmo passo que os backups manuais mantém os dados seguros, também podem ser uma armadilha para as empresas. Imagine o seguinte exemplo: há uma pessoa escolhida em sua empresa para realizar o backup e foi definido em conjunto que o backup será feito uma vez a cada 24 horas, afinal, são muitos dados, que estão em constante mudanças.

Mas, e se no intervalo entre um backup e o próximo, ocorreu um desastre, como os que te falamos anteriormente? O que fazer? Dependendo do volume de transações realizadas a cada dia, a perda de dados pode muito significativa. Provavelmente, vai bater o desespero e você juntará os recursos disponíveis em sua empresa para tentar recuperar o que foi perdido, além de que, provavelmente vai precisar trabalhar por mais tempo em busca de uma solução, usando um tempo que poderia estar com a família. Se não conseguir, o próximo passo pode ser procurar uma empresa especialista no assunto.

Por que não procurar um recurso capaz de evitar esse desespero? Então sim, o Disaster Recovery é necessário.

Onde a infraestrutura redundante se encaixa com o Disaster Recovery?

Podemos dizer com certeza: não existe maneira melhor de proteger a operação da sua empresa do que manter cópias adicionais de seus dados e contar com uma infraestrutura completa duplicada em locais distintos, de forma que eventuais falhas de um local não afete o outro.

Quando você conta com uma infraestrutura redundante, todos os dados de sua empresa ficam armazenados em dois datacenters diferentes, em locais diferentes, um deles faz o processamento dos dados e ou outro mantém o seu backup, de forma que se o datacenter principal for afetado por alguma falha, o datacenter redundante entre em ação reduzindo drasticamente qualquer impacto na sua operação.

Devo investir em uma infraestrutura dentro da minha empresa?

Você já percebeu que sim, é importante contar com uma infraestrutura redundante quando se fala em Disaster Recovery, porém, a melhor opção não é investir em uma estrutura própria.

Afinal, você teria que investir muito dinheiro em uma infraestrutura completa e segura de datacenter, que deve conter:

  • Ambiente projetado especialmente para abrigar toda a estrutura;
  • Climatização de precisão;
  • Gerador de energia;
  • Cabeamento de rede estruturado e certificado;
  • Servidores;
  • Armazenamento adequado;
  • Acesso controlado por biometria, cartão ou outros meios de segurança.

E todos os componentes descritos acima, para garantir a recuperação de desastres, precisam ser construídos de forma duplicada, no mínimo. Por isso, contratar uma empresa especializada na oferta deste serviço é mais vantajoso, já que você não precisa se preocupar com os gastos a mais que uma infraestrutura apropriada vão te trazer, com a depreciação acelerada dos equipamentos, com a manutenção preventiva ou com ataques diários de hackers.

Os dados são o oxigênio de sua empresa

Os dados são as informações vitais de qualquer empresa e, se algo ocorrer com eles, o trabalho pode ser interrompido por dias. Dessa forma, você precisa contar com Disaster Recovery e contratar uma empresa que ofereça um serviço de data center seguro, para que você não fique na mão no momento que mais precisar.

Há muito tempo o serviço de Tecnologia da Informação é visto nas empresas como algo que pode esperar, ou seja, que não é tão necessário. Porém, ele também faz parte de uma estratégia operacional de um empreendimento. Afinal, a concorrência existe em todos os ramos e uma empresa que se preocupa com a segurança dos dados passa muito mais credibilidade para os seus clientes.

Então, seu próximo passo é procurar uma empresa que possa atender toda a sua demanda e que tenha uma infraestrutura de qualidade, para garantir a segurança dos seus dados perante desastres naturais, falhas na infraestrutura e erros humanos.

Gostou de nosso conteúdo? Deixe um comentário para nós! Até a próxima.

0 comentários

Trackbacks/Pingbacks

  1. Conheça a segurança de dados ideal para o seu negócio - Constel Tecnologia - […] resilientes contra-ataques à rede, ela garante um período de disponibilidade constante frente aos desastres e ataques à […]

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *